Classics Never Die – Report 2a Etapa Liga Brasiliense

Boa tarde pilotos!

Hoje vamos falar da 2a etapa da Liga Brasiliense de X-Wing, onde contamos com 17 jogadores e de onde saiu o nosso campeão, Sérgio Pedrinha utilizando um clássico de 4 Y-Wings com TLT.

Assim como nosso primeiro report, você poderá conferir logo abaixo as palavras do nosso campeão.

No domingo dia 26 de junho tivemos na Taverna em Clear Waters Águas Claras –
Brasília, a 2ª Etapa da Liga Brasiliense de X-Wing, da qual tive a felicidade de vencer! Pudemos contar
com 17 excelentes pilotos (voando 10 listas rebeldes, 5 imperiais e 2 scum), em clima de diversão e
camaradagem como só x-wing tem e premiações espetaculares! Como vocês talvez saibam, ou não, o
formato da liga é de apenas quatro partidas de suíço independente de quantos pilotos estão presentes.
Na etapa anterior eu havia voado de triple aces imperiais, utilizando o Soontir, Carnor Jax e
Inquisitor, obtendo o satisfatório resultado de 3-1 mas com o MOV de apenas 414, menor inclusive que
dos três melhores 2-2 do torneio. Nessa etapa decidir por cair para o lado escória da força, mas sem
manalinks/fenns/dengars. Decidi por tirar a poeira da antiga mais ainda eficiente 4Y-TLT.
Para quem não conhece a lista ela contém 4 Y-Wings idênticas com TLT e Droide Desvairado
Unhinged Astromech.

1ª Partida: vs Iran Sousa

A primeira partida foi contra o Iran, piloto que está voltando agora ao cenário após um período
sabático. Era o único outro squad scum do dia contendo os Mindlinkeds Fenn Rau, Dengar Torpedeiro
(sem título) e Palob (sem TLT). Foi uma partida complicada já que os torpedos do Dengar e a ameaça do
R1 tanto do próprio Dengar quanto do Fenn são constantes. Consegui um engage com o Dengar em
range de todas as minhas Ys e consegui deixá-lo com três de vida ao custo de um próton e contra-
ataque que tirou quatro de uma Y. A partir daí fui mantendo a distância de três Ys para o Dengar
utilizando a quarta para blocks até derrubá-lo enquanto esperava a oportunidade de cercar o Fenn em
uma armadilha. A oportunidade surgiu um round após a morte do Dengar, em que eu também perdi
uma Y, ao que oferecendo uma segunda Y consegui com um k-turn colocar as outras duas a range dois
com o Fenn no arco, que recebeu os dois hits que faltavam. Sobrando apenas o Palob não havia muito
mais jogo. Resultado: 100×50

2ª Partida: vs Henrique Lopes

O Henrique veio com uma lista forte de controle e alpha-strike com Miranda de Homing, Biggs e
Braylen com Stressbot e Gunner. No setup de asteroides fiz uma cuia com cinco deles do meu lado do
campo para me proteger do forte joust do Henrique e me preparei para circular até o momento
oportuno. Assim, o primeiro engage saiu após 40 min de partida, onde eu consegui deixar apenas uma Y
no arco da Miranda atrás de uma pedra, e três com range para ela e não para o Biggs. Assim, deixei a
Miranda com dois de vida e perdi quatro da Y que levou o míssel. No turno seguinte coloquei mais uma
TLT no range apenas da Miranda que ficou com um de vida tendo regenerado, e comecei a martelar o
Biggs, enquanto o Braylen estressava minhas naves. Infelizmente para mim, o Biggs do Henrique se
recusava a morrer, mesmo com os seguidos TLTs e foi apenas quando o tempo acabou que consegui o
tiro de misericórdia, perdendo no mesmo turno uma de minhas naves e deixando a Miranda com um de
vida. Partida suada e sofrida. Resultado: 26×25

3ª Partida: vs Matheus Angelini

Nosso vice-campeão da etapa estava voando a porradeira Rey-Jan, com o título Moldy Crow na
HWK. Tivemos um começo de estudo em que os squads foram posicionados em lados opostos da mesa.
Deu-se o primeiro engage no meio dos asteródes, onde acabei não me posicionando muito bem com
todas as naves, atirando com apenas duas delas na Rey mas pelo menos mantendo todas fora do seu
mortal arco. Entramos então no “furball” com naves espalhadas para todo o lado, onde, apesar de
conseguir bloquear e forçar a troca de alvo constante do meu oponente perdi duas de minhas Ys em
troca da Rey. Ficaram então Jan com um enorme banco de focus vindo de seu título contra as minhas
duas naves restantes. Foi nesse momento em que o Moldy Crow pagou e muito seu valor em pontos. A
Jan se recusava a cair, esquivando seguidamente de meus ataques de TLT e maltratando minhas naves
na troca. Foi apenas quando acabaram as fichas empilhadas ao seu lado que finalmente consegui
derrubá-la, deixando como poeira espacial também uma de minhas naves. Resultado: 100×75

4ª Partida: vs Clauber Alex

A última partida foi contra o querido Clauber, que voava um Hux-Swarm com General Hux e
Tractor Beam na Lambda e seis Academy Pilots. Fechei o meio do mapa no início do jogo e tendo a
vantagem do PS posicionei minhas Y no meio do mat com a intenção de leva-las através das pedras para
o lado contrário ao do swarm. Assim, consegui atrair meu oponente para os asteroides, onde
demonstrando uma perícia enorme com o swarm de ties o Clauber passou com todas pelas pedras
tirando apenas uma delas da formação. Tivemos então o primeiro engage do lado dele do mat, com
minhas Ys atrás de um dos asteroides. Nessa primeira troca de tiros consegui manter distância da maior
parte do swarm, trocando tiro com duas Ties contra todas as minhas quatro Ys. Assim, derrubei uma
delas e machuquei a outra perdendo apenas um shield. No turno seguinte o resto do time do Clauber
entrou em cena, incluindo a Lambda com seu temível Tractor Beam indefensável devido as Rux. Foquei
na Lambda nesse turno e consegui deixá-la com três de vida, recebendo por outro lado muito dano em
minhas Ys já que as Ties se encontravam em volta delas. No turno seguinte, trocamos a Lambda por uma
de minhas Ys e passei então a acelerar com minhas naves com a intenção de voltar para o campo de
asteroides, nesse momento, decorrido já 1 hora de jogo, infelizmente meu companheiro de partida teve
que ir embora devido a um compromisso previamente marcado e decidimos por encerrar a partida do
modo como estava, com três Ties próximas da morte, duas com um de vida e uma com dois e uma de
minhas Ys também capengando com um de vida enquanto as outras estavam com cinco e seis.
Resultado: 40×25

Muito feliz com a vitória na etapa, apesar de como acabou a última partida, já que tivemos
excelentes pilotos participando do torneio! Vale apontar novamente meu baixo MOV no torneio (491,
abaixo dos três melhores 3-1).
Que a força esteja com vocês!

Para quem quiser mais detalhes, poderá acessar o torneio no Juggler e olhar a tabela da liga até o momento logo abaixo:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *