Report – 4a Etapa Liga Carioca de X-Wing

Fazia tempo que não soltava um report de torneio, mas este mereceu. Não pela vitória (acho que esta foi minha 10 Etapa da Liga Carioca vencida), mas por como o evento transcorreu e a qualidade dos jogos.

Tivemos 19 jogadores, um número bem alto para campeonato de loja, com suiço de 4 rodadas – ou seja, não dá para dar mole. 3-1 só vence o torneio se estiver muito empatado, e eu precisava de no mínimo 3 vitórias para eliminar o 2-2 que fiz na primeira etapa (estava em primeiro no ranking e precisava eliminar este resultado “ruim” para aumentar a pontuação). Levei 3 squads para o evento, e usando um dado do Andre Ripoll, decidi qual usaria: Chinapura! Os outros dois eram Fenntastic Beasts e Crackbots. A sorte me ajudou, pois encontrei naves bem móveis ao longo das partidas, e os brobots teriam passado sufoco.

Vamos as partidas:

1a Partida: Rafael Moulin
Moulin foi vencedor de etapas oficiais da Galápagos no ano passado, levando um Store e um Regional, se não me engano. Ele foi o primeiro a usar Fenntastic Beasts no Rio, e é um dos nossos jogadores principais. Comecei o torneio bem. Dei um pequeno mole no deploy dos asteroides e formou-se um triângulo no meu lado esquerdo, ruim para as Jumpmasters. Ele, que jogava com Quickdraw, Vessery e Inquisitor, se enfiou no meio das pedras, esperando que eu fosse para lá o caçar. Voei para o outro lado da mesa, invertendo a “esquerda” das Jumps, e fazendo com que os asteroides deixassem de ser um problema. Em um descuido, ele separou o Inquisitor do grupo, eu torpedeei e matei. No outro engage matei o Quickdraw, e não tomei dano significativo do Vessery, conseguindo sair do arco dele com frequência. Venci derrubando estas duas naves, fazendo 67×0.

2a Partida: Herbert Parasio
Dispensa apresentações, mas para quem não conhece, além de ser meu parceiro de podcast, no Veteran Instincts, no Red5 e em treinos, foi finalista de praticamente todos eventos Galápagos do ciclo do Nacional 2017. Ou seja, mais um casca-grossa. Herbert veio com uma lista interessante com Dengar, Fenn Rau e uma M3A cujo único propósito é fazer focus, liberando os aces. O jogo rapidamente foi para o meu lado quando matei o Fenn Rau com um certeiro tiro de míssil a R2 – a melhor distância de atacar ele. Depois tivemos uma caça ao Dengar inimigo, com ele matando meu Tel Trevura (que voltou) e eu, com meu Dengar, o matando, mas infelizmente tomando bastante dano no contra-ataque, ficando com 1 de vida e morrendo para a M3A a r1. Ficou ela contra meu Tel, com 1 de vida. Fizemos um jogo de gato e rato até que eu, a R3, atirei, Herbert rolou 3 blanks e 1 focus, e foi destruido (ela já estava bem danificada). Foi um jogão, digno de uma final, decidido no último rolamento. Venci por 100×78.

3a Partida: Delfim Fernandes
Delfim foi Top4 e Top 8 em eventos Galápagos, e joga muito. Trouxe um squad “da moda”, usando cluster bombs, que me deram bastante trabalho. A lista era Miranda, Biggs e Y Stresshog. Fizemos o deploy para uma justa, de frente um para o outro. Pensando depois, dei mole ali, deveria ter posto no canto oposto, para ter tempo de torpedear a Miranda e não tomar as bombas. Mas paciência, fui lá, na primeira trocação consegui eliminar o Biggs, só que, em seguida, tomei 5 de dano no Dengar da primeira cluster da Miranda. O jogo transcorreu conosco trocando posições, consegui sair do arco da Y, só tomando ataque dela uma vez, e a matei, mas infelizmente neste decorrer meu Dengar e Trevura cairam para as bombas remancescentes da Miranda… só que o Trevura volta 🙂 . A Miranda só tinha 2 de vida, Trevura voltou, Miranda no turno seguinte fez um 3 bank e slam… eu andei 3 bank, peguei target lock nela, fiz focus… e soltei meu último plasma. 4 de dano, GG Miranda. SE a Miranda tivesse ficado perto, eu teria que ter atacado com minha arma primária, 3 dados com target lock e focus. Teria que tirar 3 hits. X-Wing de alto nível se decide nos detalhes, e foi em um que venci a partida. Mais um 100×78, e estava na mesa 1, na última rodada!

4a Partida: Bruno Pugliese
Mais um top player. Bruno foi finalista de regional, é parceiro de treino, de Red5, Veteran Instincts… mais uma pedreira! Ele veio de Chiraneau Whisper, com o maldito Kylo Ren e o Imperador. Ou seja, devido a manipulação dos dados, seria quase certo eu tomar os críticos escolhidos pelo Kylo Ren. Tivemos um bom engage, com o Bruno antecipando a entrada da Whisper no combate – a meu ver, seu único erro a partida inteira. Ela entrou no alcançe dos meus mísseis, disparei e a destrui. Depois, fui descascando a Decimator, que aplicava críticos nas minhas jumps, deixando-as cegas, com PS0… apanharam muito. Só que, nesta, entra a resiliência do Tel Trevura, mais uma vez. Consegui colocar a Decimator em um killbox entre as duas jumps, com Dengar com o arco primário apontando para ela. O Chiraneau já estava com 2 de vida, e em um ataque para tentar pontuar, ele atacou o Dengar. Tomei um de dano, Dengar contra-ataca, e destroi a Decimator! Mais um jogão, vencido por mim por 100×67, me dando a vitória da etapa!

Havia me planejado para um 3-x, e fz 4-0. Vencer um torneio deste nível é um prêmio por sí só, independente de missangas ou badulaques. Derrotar alguns dos melhores jogadores do Brasil é um feito que me deixa bastante feliz, pois independente de premiação, jogar com esta galera já é o verdadeiro troféu!

Para quem quiser ver os resultados e listas, está tudo no Juggler, basta clicar aqui!

O ranking até agora é este:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *