I Rebel!

Rebellions are built on hope! – Jyn Erso

Sejam bem vindos! Hoje falaremos sobre uma nova lista rebelde que eu estou testando e gostando bastante. Durante o Nacional joguei com a famigerada RonCon (para mais detalhes sobre a lista leia este artigo aqui). É uma lista muito consiste – um dos motivos de utilizá-la foi justamente esse – mas acabei cansando dela, e decidi que já estava na hora de mudar de ares.

Conversando com o Bruno Pugliese (a.k.a. Pupu) num dia de treinos na Redbox, ele citou uma lista interessante composta por Rex, Biggs, Thane e Stress Bot. A ideia por trás desse esquadrão é muito interessante, Biggs força os inimigos a concentrarem fogo nele, o que ativa a habilidade do Thane, melhorando sua economia de ações e consequentemente seu output de dano, além de ser extremamente sinérgica com a habilidade do Capitão Rex, que coloca a condição Supressive Fire em uma nave aliada após um ataque.

Essa condição faz com que a nave inimiga ataque com um dado a menos sempre que for atacar outra nave que não seja o Rex (alguém aí ouviu Biggs?). Assim teríamos um Biggs com uma sobrevida, enquanto Thane faz a festa. Pra fechar com chave de ouro, temos o bom e velho Stress Bot, causando dano e tirando ações dos nossos oponentes que ficarão cheios de fichas de stress.

Na hora o Bruno não se lembrava exatamente quais eram os upgrades da lista(*). Decidi então montar algo da minha cabeça, chegando no seguinte esquadrão:

 

 

A ideia do esquadrão é basicamente deixar o Biggs vivo o máximo possível enquanto o resto do esquadrão acaba com as naves inimigas. R4-D6 está aí para diminuir o prejuízo causado por aquela rolagem ruim de dados (vulgo Blank-Blank), e o Integrated acaba servindo como um Hull Upgrade gratuito no Biggs.

Os crews escolhidos também tem esse objetivo, dando o maior número de tokens para que o Biggs consiga sobreviver mais tempo. Jan Ors transformará o Focus feito por Biggs em um Evade, enquanto Thane usará a ação da Jyn Erso para garantir tokens de Focus para o Biggs.

Rex atacará um inimigo aplicando a sua condição, diminuindo assim o dano causado pela nave inimiga em futuros ataques contra Biggs. Equipamos Rex com BMST aumentando a utilidade da Tie Fighter, aproveitando-se dos tokens de Stress distribuídos pela Y-Wing. Com os pontos sobrando, decidi colocar um Crack Shot no Thane, que pode ser crucial em alguns combates.

O esquadrão deve voar em conjunto, o que pode ser um dos grandes desafios de se usá-lo (recomendo bastante o artigo do Vatto onde ele dá dicas valiosas sobre planejamento, posicionamento e movimentação de Mini-Swarms), já que o mesmo conta com naves extremamente diferentes (apenas os dials da X-Wing e da ARC-170 são semelhantes). Thane e o Stress Bot vão à frente, com Biggs e Rex atrás. Biggs sempre utilizará sua ação de Focus – convertido em Evade – enquanto Thane utilizará Jyn Erso para garantir tokens de Focus para o Biggs.

Durante a fase de combate, após os ataques direcionados ao Biggs, Thane fará o Target Lock e o Focus, melhorando assim o seu ataque. A Y-Wing fica livre pra fazer a ação que quiser (antes de ficar estressada), e começa a distribuir dano e Stress nos inimigos. Rex provavelmente fará Focus para melhorar seu dano e eventualmente utilizar o BMST em inimigos estressados pela Y-Wing. Como voaremos em formação, é vital fazer o Focus Firing, e tentar eliminar pelo menos uma nave inimiga por turno.

O desempenho desse esquadrão realmente me surpreendeu, e tenho obtido bons resultados com ele. A sinergia do esquadrão é fantástica, e mesmo após perder uma nave ele continua forte! Convido vocês a testarem por si mesmos esse divertido mini-swarm rebelde e até mesmo personalizá-lo com as suas preferências(**)!

May the Force Be With You!

 

(*) Após pesquisar um pouco, encontrei o esquadrão ao qual o Pupu se referiu, ele é conhecido como Española, e foi utilizada por Daniel Alzueta Curto, durante o Tatooine System Open desse ano, ficando em 2º lugar no Suíço. As listas são muito parecidas, o que me incomoda um pouco é a utilização do R3-A2 no Thane, mas isso se deve a utilização do Roark para que o Rex seja o primeiro a atacar na fase de combate.

(**) Uma possível alteração que eu ainda não testei seria a substituição da Jan Ors pelo Inspiring Recruit, que acabaria eliminando dois tokens de stress da Y-Wing no turno seguinte se a mesma utilizasse uma manobra verde, deixando-a muito mais perigosa.

 

2 comentários em “I Rebel!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *