O Império ao Alcance De Todos: Sua Primeira Compra

Notando que é sempre o tema recorrente e útil para jogador iniciante, gostaria de abordar o investimento essencial para se ter um esquadrão minimamente competitivo jogando de Império.

A facção imperial já foi talvez a mais cara de se jogar, especialmente pelo fato de nossos upgrades mais úteis estarem espalhados por várias expansões. O ace Soontir Fel, por exemplo, precisará de seu próprio pacote de expansão TIE Interceptor, do pacote Imperial Aces (de onde você basicamente aproveita um único piloto, Carnor Jax, dois títulos Royal Guard TIE e um punhado de upgrades), a nave Scum Star Viper para Autothrusters e Slave I, M3a ou U-Wing para Dispositivo de Ocultamento. É, enfim, uma opção bastante cara de montar, considerando que o Barão irá representar apenas um terço dos seus pontos.

A coisa complica mais ainda quando o assunto é nosso Imperador, que só virá confinado numa caríssima nave épica.

A situação, porém, melhorou bastante com o pacote Imperial Veterans, especificamente pelo refit dado à TIE Defender através do título X7. É bem verdade que a posterior errata as machucou. Agora, o jogador só fará jus à sua ficha de Evade se não tiver colidido na manobra velocidade 3 ou mais e não estiver estressado.

Mesmo assim, é fato que as Defenders ainda possuem uma excepcional combinação de estabilidade e resistência, exigindo apenas mais planejamento por parte de seu controlador, que será obrigado a calcular melhor os vetores de ataque para prevenir colisões.

Além do mais, elas basicamente precisam do título e já se tornam operacionais. Talentos de Piloto e Modificações podem ajudar, mas não estão para as Defenders como os umbilicais Autothrusters e Push The Limit estão para Interceptors.

Dito isso, minha sugestão para esquadrão minimamente competitivo pelo menor investimento do seus créditos imperiais precisaria de:

1) Expansão Imperial Veterans – acesso aos dois precisos títulos X7, uma miniatura da Defender e um ótimo complemento de pilotos e upgrades. A Condessa Ryad merece destaque como uma das mais versáteis e poderosas pilotos do Império.

2) Expansão TIE Defender – acesso ao sinérgico o Coronel Vessery, cuja habilidade o faz candidato a wingman de uma infinidade de pilotos, e o acessível Piloto do Esquadrão Delta, um bloqueador que sabe bater, além de, claro, a segunda miniatura de Defender e o ótimo Talento Predator;

3) Expansão TIE Fighter F/O – acesso ao pocket ace Omega Leader, o único piloto imperial (por enquanto) a já sair pronto da caixa, um dos melhores duelistas do jogo e um excelente wingman para o Coronel Vessery, já que suas miras permanecem nos alvos, sem contar o talento Juke que ataca o inimigo onde ele é mais frágil, nos temperamentais dados verdes.

Esse investimento e algum treino podem lhe dar as ferramentas necessárias para que qualquer jogador honre o Império. E como ficaria a lista do Esquadrão? Sugerimos o que segue, usando exclusivamente o contido nessas caixas:

TIE/FO Fighter: •”Omega Leader” (26)
Juke (2)
Comm Relay (3)

TIE Defender: •Countess Ryad (36)
TIE/x7 (-2)
Predator (3)

TIE Defender: •Colonel Vessery (36)
TIE/x7 (-2)
Outmaneuver (3)

Total: 97/100

O preço total ficaria abaixo dos 50 dólares pela cotação da Miniature Market. Você dificilmente encontrará opções semelhantes em outros jogos competitivos, pelo menos que eu saiba.

E o futuro? Tão interessante quanto permitir ao possuidor desse núcleo de naves e pilotos sentar à mesa de um torneio, é o fato de que são naves altamente versáteis e sinérgicas com o resto do arsenal imperial.

TIE FOs, por exemplo, são baratos e têm um bom dial, não raro podem ser usados para preencher aqueles 20 e poucos pontos que sobraram.

As Defenders não devem receber outra redução de poder tão cedo e vale salientar que qualquer nave que já funciona bem antes mesmo de aplicada a EPT (Talento de Piloto) e a modificação só tem a ganhar no futuro. O título TIE/D, apesar de mais arriscado, significa que qualquer canhão de preço 3 ou menos por ser lançado no futuro irá imediatamente agregar valor a Defender. Para mais sobre formas avançadas de explorar o potencial da Defender, recomendamos o artigo do colega Mauricio sobre o desenvolvimento das Defenders quando utilizadas para escoltar o Imperador.

Até mesmo a humilde Bomber que acompanha a caixa Imperial Veterans parece estar recebendo novas armas a cada Wave. Estão incluídos as relevantes modificações Long-Range Scanners, duas bombas utilizáveis, a fenomenal Crack Shot e o título TIE Shuttle, cujo efeito transformador significa a aquisição de duas naves pelo preço de uma. Isso sem falar no futuro lançamento da munição exclusiva Unguided Rockets (pacote TIE Aggressor) que pode inaugurar um novo conceito de caça de ataque de baixo custo.

São enfim naves apropriadas para múltiplos papéis e estratégias. Generosas mesmo quando incompletas. Ótimos pilares para fundação de uma coleção.

Na guerra, não há certezas absolutas, mas há o cálculo de risco. Se você está começando agora ou se deseja se redimir de seus pecados e passar a lutar pela Paz e a Ordem na Galáxia, seu investimento não será em vão.

Feliz caçada, irmão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *