As Defensoras do Império – Parte 1: Palp Defenders

As Defenders rapidamente se tornaram minhas naves imperiais preferidas. Os escudos, aliados a agilidade alta, grande poder de fogo e o incrivel K-Turn branco, as fazem uma das mais fortes naves do jogo. Mas foi depois da expansão Imperial Veterans que elas se transformaram, realmente, no monstro que se tornaram (chegando a ter que serem “nerfadas” com um FAQ recente).

Eu ainda acredito, entretanto, no poder destas naves. A partir desta matéria, irei explorar listas usando a Defender, mostrando que o Império pode continuar contando com estas naves para destruir terroristas rebeldes, piratas e mercenários.

A primeira lista é uma clássica, vencedora de diversos regionais, e que me levou a um Top 4 e dois Top 8 em regionais, fora uma recente conquista de etapa na Liga Carioca, no Rio de Janeiro.

Com vocês, as famosas, temidas e famigeradas Palp Defenders!

PALP DEFENDERS

100 pontos de pura destruição. Mesmo com o nerf no Palpatine, fazendo com que ele tenha que escolher o resultado desejado antes do rolamento, e no título X7, adicionando o não-overlap como condição para o ganho do evade, a lista continua muito forte. Tanto o Omnicron Group Pilot (OGP) quanto a Condessa Ryad podem fazer o target lock no inimigo, para beneficiar o Coronel Vessery, que passa a atacar com target lock e focus, dando a ele quase um output de dano de 3 todos os rounds. A Ryad, para mim, é uma das melhores pilotos para o final do jogo, pois consegue realizar seus K-Turns a qualquer velocidade (sendo que, em 3 ou mais, ganha o evade), limpar o stress do Push the limit, e fazer barrel roll, focus ou target lock – e ainda ganhar o evade! Já o OGP vai além de um ônibus para o Palpatine. Atacando com 3 dados e conseguindo bloquear bastante, a Lambda é uma excelente nave de apoio.

O segredo das Palp Defenders, vai além da sinergia entre as naves. Como toda lista com 3 naves ou mais, ao concentrar fogo, aumentamos o poder de destruição. Sendo assim, sempre que possível, ataque com todas no mesmo alvo. Não tenha medo de abrir espaço com a Ryad, com um K-Turn em velocidade 4 ou 5, para continuar mantendo seu inimigo no arco, pois é indo para as costas do adversário que as Defenders ganham jogo.

A durabilidade destas naves também é impressionante. No Regional BH 2017, encarei um swarm de tie fighters de frente, e sai vitorioso perdendo somente a Lambda. O que pode parecer loucura, na verdade, é estatisticamente provável:

Como podemos ver na tabela abaixo, uma Tie Fighter tem uma probabilidade muito pequena de aplicar dano na Defender:

 

Se a Tie Fighter decidir atacar a Defender a range 2, sem focus (se ela tiver feito como action o evade), e se não estiver ao alcance da Howlrunner, o potencial de dar dano na Defender é quase nulo.

As coisas melhoram para a Tie Fighter quando ela faz focus e usa a Howlrunner para rerolar seus ataques, mas o dano ainda é menor que a defesa, muito baixo ainda.

A range 1 as coisas são menos piores para as pobres ties, mas, caso tenha feito evade, mesmo a curta distancia, o dano provavelmente não irá passar.

O melhor cenário para o swarm é, então, ter a Howlrunner por perto, e fazer focus. Assim, com um dano médio de 0.31, podemos esperar que a cada 3 naves atacando, a Defender sofra 1 de dano (e mesmo assim, isto não é concreto). Ou seja, mesmo com Howlrunner e focus, as chances das Defenders sairem danificadas da justa são bem baixas.

Vamos agora dar uma olhada nos ataques das Defenders:

Ao atacarem a range 2 uma Tie Fighter que fez evade, a chance de dano é próxima de 1. Nada muito animador, mas melhor que as chances das Ties. Se considerarmos que o Vessery tem Juke, a chance de dano aumenta.

Se meu oponente fez focus ao invés de evade, para aumentar sua chance de dar dano, é quase certo que eu consiga aplicar um de dano nele. A probabilidade, mais uma vez, está do meu lado.

Por último, temos a Defender atacando a range 1 um inimigo com somente focus (ele jogou ofensivo pois conhece as estatísticas!). A chance de eu aplicar praticamente 2 de dano por ataque é muito grande. Pensando assim, se tenho duas defenders atacando, consigo destruir uma Tie Fighter por turno, fora o ataque da Lambda.

Ou seja, conhecendo as probabilidades, conseguimos realizar uma tomada de decisão mais acertiva sobre o que fazer, onde atacar, e como fazer o engage. Lógico que estamos falando de probabilidade, e temos o outro lado do percentual – Eu posso rolar todos dados brancos, e ele acertar tudo! De qualquer forma, a Defender, por ter números altos em ataque, defesa, escudos, e a possibilidade de fazer focus e target lock, é uma máquina de matar, resistente e mortal! As contas que fiz acima foram levando em consideração um embate com tie fighters, mas naves, no final das contas, são números quando estão jousteando, e as tabelas acima podem se aplicar a qualquer nave com agilidade e ataque similar.

No próximo artigo falarei de outra lista com Defenders, desta vez sem a Lambda, mas com uma Delta!

 

 

 

 

 

 

2 comentários em “As Defensoras do Império – Parte 1: Palp Defenders

  • 04/14/2017 em 1:44 pm
    Permalink

    Adorei a postagem. Tô doido pra pegar essa expansão pra tb ter essa listinha marota e clássica.

    Resposta
  • 04/17/2017 em 5:24 pm
    Permalink

    Vou testar o palp defenders pos nerf pra testar a eficiencia deles, parece menos cheesie hahahaha.
    Ótimo artigo Mauricio esse nível de analise que é otimo de mostrar e comunicar pra colocar os novos jogadores por dentro do nível de detalhes que esse nosso jogo tem.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *